mesa livre para a vida

não se descreve o viver. para quê tentar?

01 janeiro 2007

ontem.hoje

David Bergman

tão jovem o meu corpo e eu infeliz. distribuiram tudo errado os deuses quanto a mim.

hoje que aprendi a paz feita de amor e amores já o corpo me falta a acompanhar.

levo para a morte uma alma a estoirar de vida.

tive na vida um tempo a transbordar de morte.

e não há nada que eu possa fazer para mudar isto. nada.

o tempo é o senhor. o tempo só.

1 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial